Tratamento de águas residuais: como escolher a tecnologia mais adequada?

Jun 19, 2023

Há mais de quatro décadas no mercado, a Salher dispõe de soluções compactas para o tratamento de águas residuais, contribuindo assim para a proteção do meio ambiente, sem necessidade de grandes espaços ou recursos. Dependendo de cada situação, a vasta experiência no sector permite optar pela tecnologia de tratamento mais adequada: tratamentos biológicos aeróbios, sistemas MBR ou MBBR.

As águas residuais são provenientes de processos produtivos ou de consumo humano e, por consequência, apresentam alterações nas características físicas, químicas e microbiológicas. A seleção da tecnologia mais adequada para tratar estes efluentes, minimiza o risco de problemas futuros e contribui para prolongar o ciclo de vida útil da ETAR. Após identificar a origem das águas residuais e analisar a sua composição e contaminantes, a Salher tem em conta os seguintes fatores:

  • Técnicos: Complexidade das tarefas de operação e manutenção do tratamento de depuração.
  • Espaço: Terreno disponível para a localização da estação de tratamento.
  • Económico: Custos de construção, instalação operação e manutenção da Estação de Tratamento.
  • Social: Aceitação e consciência local.
  • Ambiental: Características ambientais do local de instalação e meio envolvente da ETAR, eventuais impactos negativos da instalação, assim como o estudo da produção de lamas do processo.

A solução mais eficiente para tratar as águas residuais de cada tipo de indústria

Para evoluir em termos de sustentabilidade, é necessário que os decisores das indústrias produtoras de efluentes tenham consciência ambiental, para que invistam em tratar adequadamente os fluentes. Do mesmo modo, a Salher promove soluções para que estas águas residuais regressem purificadas ao meio natural (rio, mar ou subterrâneo) e, sempre que possível, para as reutilizar no âmbito da limpeza, rega e enchimento de autoclismos das próprias indústrias.

A Salher analisa as características das águas residuais produzidas por diversos tipos de indústrias e estuda a configuração mais adequada, que depende de vários fatores, nomeadamente, dos poluentes de cada tipo de indústria:

Embora cada setor tenha as suas particularidades, as águas residuais produzidas na indústria agroalimentar são caracterizadas por alta biodegradabilidade, por isso é adequado tratar com um dos sistemas biológicos. Para além disso, a Salher projeta e fabrica todos os tipos de elementos de pré-tratamento de águas residuais, como pré-tratamentos convencionais (grades, tamisadores de parafuso ou tamisadores rotativos) e tratamentos primários avançados, como os sistemas DAF.

Os Flotadores por Ar Dissolvido (DAF) de fabrico próprio da Salher, são muito eficazes na eliminação de uma grande parte da contaminação orgânica em suspensão, óleos e gorduras, o que, em alguns casos, dependendo da qualidade exigida na descarga final, os tratamentos posteriores poderão não ser necessários.

Por exemplo, quando uma indústria agroalimentar com cargas poluentes médias, descarrega num coletor municipal de uma cidade, com apenas um pré-tratamento adequado e um tratamento primário avançado, como os sistemas DAF da Salher, será suficiente para garantir o cumprimento dos requisitos legais. No entanto, se o efluente fosse descarregado num rio ou mar, além do DAF seria necessário incorporar um tratamento secundário, por exemplo, biológico.

Outros tipos de indústrias, como a metalúrgica ou automóvel, produzem efluentes que não possuem alta biodegradabilidade. Por esta razão, tratamentos biológicos não podem ser utilizados para essas águas residuais, é necessário recorrer aos tratamentos físico-químicos.

A Salher trabalha com as diferentes tecnologias de tratamentos biológicos existentes no mercado:

  • Tecnologia de lamas ativadas. Existem muitas variantes de lamas ativadas, mas os mais comuns para estações de tratamento de águas residuais, de pequeno e médio porte, são lamas ativadas de baixa carga ou lamas ativadas com arejamento prolongado.
  • Tecnologia MBBR: Também chamada de tecnologia de leito móvel, onde a população bacteriana é fixada num material de suporte plástico para desenvolver o respetivo crescimento.
  • Tecnologia de biomembranas: com os sistemas MBR, é possível obter água de ótima qualidade para poder ser reutilizada.

A escolha de cada tecnologia depende dos fatores acima referidos, no entanto, se não existirem grandes restrições, a Salher recomenda sistemas biológicos aeróbicos, ou seja, com fornecimento de oxigénio. São simples, eficazes, não produzem odores nem gases tóxicos e são processos mais controlados em termos de desempenho.

O reaproveitamento de águas residuais de uma indústria justifica-se quando o cliente assim o exige, conforme a regulamentação local, quando existem grandes exigências na descarga de efluentes líquidos e quando é viável tratar estes efluentes dentro do processo produtivo. Normalmente, o efluente tratado, que passa por um sistema simples de reutilização, não pode ser reaproveitado nos processos produtivos da referida indústria.

No entanto, essas águas residuais tratadas podem ser rejeitadas sem contaminar o meio recetor ou serem reutilizadas nas limpezas da indústria, na rega de jardins e/ou recarga de autoclismos, a um custo relativamente baixo. Caso a indústria em questão tenha interesse em reutilizar essa água para fins industriais, existem tecnologias muito mais específicas que são necessárias para atingir a qualidade exigida pela legislação. Em todo o caso, a Salher pode estudar a opção mais adequada para cada projeto, selecionando entre as tecnologias de reutilização disponíveis:

  1. Filtração: Salher trabalha com filtros de anilhas e filtros multimédia (areia, sílex-antracite e carvão ativado).
  2. Ultrafiltração.
  3. Nanofiltração, ideal para reaproveitamento de água em torres de arrefecimento.
  4. Osmose inversa: A grande vantagem deste tratamento, é a retenção de, caso existam, sais, cloretos, fosfatos ou nitratos dissolvidos. É um tratamento utilizado quando a água tem de reter partículas para eliminar a concentração de sais dissolvidos ou condutividade.

Tratamento e reutilização de águas residuais urbanas em tempos de seca

Para tratar as águas residuais domésticas, os municípios dispõem de redes de esgotos e saneamento que vão dependem do número de habitantes equivalentes, da contribuição de CBO5 (consumo bioquímico de oxigénio em cinco dias) e das normas locais em vigor. Quando se trata de pequenas comunidades até 50 habitantes, a Salher dimensiona e fabrica sistemas de decantação-digestão: fossas sépticas convencionais, segundo a norma UNE-EN 12566, com possibilidade de adicionar filtros biológicos para aumentar a eficiência.

Em geral, para tratar as águas residuais produzidas por populações de 50 a 2.000 pessoas, a Salher recomenda um sistema que inclua pré-tratamento manual ou automático, um separador de gorduras orgânicas e um tratamento biológico, como OXIREC-C, OXIREC-D, sistemas MBBR ou sistemas MBR, dependendo do orçamento disponível. Com esta tecnologia avançada, a água obtida tem qualidade própria para reutilização, não sendo necessário adicionar equipamentos terciários à linha de tratamento de água.

Para determinar qual o sistema biológico mais adequado a cada caso, a Salher considera se, a água tratada vai ser descarregada para o terreno através de valas filtrantes ou para um canal natural, e outros fatores, como os limites de descarga, a necessidade de reutilização da água, a área e o orçamento disponíveis.

No dimensionamento de soluções para o tratamento de águas residuais de zonas rurais com população sazonal, ou de estaleiros de obra, a Salher recomenda a instalação de equipamentos de baixo consumo energético e praticamente sem manutenção, como a estação de tratamento LBR, um reator de leito bacteriano recirculado ou biológico filtro.

Quando é necessário tratar as águas residuais de maiores populações, a Salher recomenda a introdução de uma PPC (estação compacta de pré-tratamento) como pré-tratamento, e para a fase de tratamento secundário, a tecnologia escolhida em tanques de placas ou em obra civil, em vez de ser compactado no interior de um depósito de fibra de vidro (PRFV).

Para além disso, em locais onde é consumido um elevado volume de água facilmente reutilizável, como hotéis, spas e resorts, campos de golfe, edifícios de escritórios, zonas residenciais ou estações de lavagem de automóveis, a Salher recomenda a instalação de sistemas de reutilização (com microfiltração, tecnologia de filtração ou ultrafiltração).

Boletim Salher

Categorias

Últimas notícias

Verano de sol, playa y… sequía

Verano de sol, playa y… sequía

En vísperas del verano, el sector turístico de España y otras zonas del sur de Europa se enfrenta al gran reto climático que suponen el aumento de las temperaturas, la desertificación y la sequía....

Produtos Salher

Concebidos e desenvolvidos para dar soluções a todas as necessidades em tratamento de águas.

Serviços

Serviço de Projetos

Desenvolvimento de engenharia e gestão de projetos.

Fabricação

Produção de equipamentos em PRFV, polipropileno e aço.
Montagem de equipamentos modulares e integração em obra civil.

Fornecimento

Seleção de equipamentos e instrumentos eficientes para criar a solução integral de tratamento de águas.

Posta em serviço

Assistência técnica da montagem eletromecânica e elétrica de cada estação de tratamento de águas.

Manutenção

Serviço de controlo posterior da instalação por parte de uma equipa técnica qualificada.

Formação e apoio documental

Formação teórica e prática, e entrega de manuais de operação, posta em marcha e manutenção.

portugal@salher.com

Zona Industrial de Vagos, Lotes 44-46 - Apart. 139, 3844-909 Vagos, Aveiro - Portugal.

+351 234 795 821

Portugal / +351 234 795 821 - 23

Espanha / +34 91 875 75 30

Polónia / +48 22 737 24 95

Engenharia - Tratamento de águas residuais - Depuração - Sistemas de separação de líquidos e sólidos para processos industriais e municipais - Águas superficiais - Águas subterrâneas - Reutilização - Potabilização - Separação de óleos minerais e hidrocarbonetos

Política de privacidade